quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Juntando os cacos do meu coração.

Beleza Perdida- Amy Harmon

Existem livros que passam pela nossa vida sem fazer muita diferença, acredito até que esse é o caso da grande maioria. Mas existem outros que ficarão em nossa memória para sempre. Digo isso porque são poucos os autores capazes de tocar o nosso coração de uma forma diferente, nos transformando para a vida. Para mim Beleza Perdida foi mais do que especial, foi estarrecedor, Amy Harmon me deixou "em cacos".

Neste livro, acompanharemos um período da vida de duas personagens, da infância a fase adulta. 

Fern desde pequena foi vista como "feinha" e cresceu com essa perspectiva de si mesma, mas sempre demonstrou possuir um coração de ouro. Seu melhor amigo é seu primo Bailey, que nasceu com uma doença degenerativa que causa a perda dos movimentos do corpo. 

Apesar de os médicos acreditarem que a vida de Bailey será breve, o garoto não se deixa abalar e mostra a todos o seu temperamento alegre e forte. Nessa empreitada, Fern não é só sua família, mas a pessoa que toma conta dele ajudando-o desde que começou a precisar de uma cadeira de rodas.

Fern sempre foi apaixonada por Ambrose Young, um cara considerado lindo por todo o colégio e admirado pela cidade toda por ser um campeão nas lutas. Bailey, que é filho do treinador de Ambrose, tem verdadeira admiração pelo amigo e o considera um herói grego. 

Numa tentativa de descoberta de si mesmo, Ambrose, e seus quatro melhores amigos, resolvem se alistar para o exército logo após os acontecimentos do 11 de Setembro, sendo que essa escolha mudará a vida não só dos garotos mas da cidade inteira.

Após um incidente trágico, ele é o único que consegue retornar para casa, porém nada mais será como antes. Além de ter que lidar com a ausência daqueles que ama, o garoto volta para casa com o rosto desfigurado e precisará aprender a aceitar seu novo rosto, sua nova vida e, por incrível que pareça, lidar com a insegurança em relação a uma garota, sentimento que jamais teve antes do alistamento militar.

O que achei?

Esse livro é de uma delicadeza ímpar. 

Para mim, não houve um ponto ruim sequer. Tudo foi na dose certa e me conquistou. Nem sei quantas lágrima verti ao final de vários capítulos, mesmo naqueles que eu meio que já sabia o que iria acontecer. O fato de já saber não mudou os meus sentimentos e eu fiquei arrasada.

Esse livro não é para deixar as pessoas tristes, mas sim para mostrar o que há de melhor nas pessoas. É para que você se emocione com a beleza do ser humano e não para que chore com os infortúnios da vida.

Beleza Perdida é sem dúvida alguma imperdível.

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Romance de época brasileiro.

O Amor nos Tempos do Ouro - Marina Carvalho.

Sabe aqueles romances de época que são super meigos? Com uma dose certa de todos os elementos que o gênero pede, O Amor nos Tempos de Ouro acertou "na mosca".

Nesta bela história, conheceremos a incrível Cécile, uma fraco-brasileira, que acaba de perder seus pais e irmãos em um trágico acidente. Por ter sido criada na França, seus pais adotaram em sua formação um estilo mais liberal, entendendo que a filha poderia fazer da sua vida o que bem quisesse, inclusive se casar por amor. 

Entretanto, agora, sozinha, com grande fortuna e desamparada, seu tio entende que o melhor caminho para ela é seguir para Minas Gerais e se casar com um homem muito mais velho e senhor de terras. 

Cécile não vê saída para sua situação atual, pois está impedida de usar seus bens em razão da tenra idade e de não ter marido, e acaba acatando a decisão do tio, tornando-se noiva de um escravagista violento e sem escrúpulos.

Mas para chegar à fazenda do noivo a sua travessia será complicada. Depois de enfrentar as intempéries de uma viagem de navio, a moça precisará atravessar uma parte do Brasil cujos perigos não pode calcular. Para tanto, seu noivo contrata Fernão, um homem temido por todos, que terá a tarefa de entregar Cécile intacta.

Fernão perceberá em pouco tempo que esta empreitada será uma das mais difíceis de sua vida, pois a moça em questão possui um temperamento ácido, uma grande capacidade de encontrar problemas e, ainda, uma beleza que mexe com o seu coração.

O que achei?

Com esse enredo todo é de se imaginar que eu adorei este livro, não é mesmo? O desenrolar da história para mim teve o tempero necessário, não deixando a desejar em se tratando de romance de época.

Por meio da pesquisa para escrever esta história, a autora nos presenteia com conhecimentos acerca do Brasil-colônia, diversas poesias maravilhosas e cenários de "cair o queixo". Fui arrebatada por todas as personagens e me emocionei muito com o desfecho.

Porém, aqui vai minha única crítica: ficaram muitas pontas soltas. A impressão que tive, e espero estar correta, é que a Marina pretende dar seguimento com a trama de algumas personagens. A história da escrava Malikah foi uma das melhores coisas nesse livro, e acredito seriamente que ela merece um volume próprio.

Deixo vocês agora com uma das belas poesias deste livro. Até a próxima.

[...]
Sentir, sem que se veja, a quem se adora
Compr'ender, sem lhe ouvir, seus pensamentos,
Segui-la, sem poder fitar seus olhos,
Amá-la, sem ousar dizer que amamos,
E, temendo roçar os seus vestidos,
Arder por afogá-la em mil abraços:
Isso é amor, e desse amor se morre!

Gonçalves Dias, "Se se morre de amor!",
em Novos cantos

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Água com açúcar.

Para Todos os Garotos Que Já Amei.


Se você anda a procura de um romance super leve e fofinho, deveria tentar este aqui. Mas sem criar muitas expectativas.

Lara Jean, uma garota com descendência coreana, nunca fez nada na vida sem pedir a opinião de suas irmãs, principalmente da mais velha. Ela é extremamente insegura de seus atos e escolhas e está desesperada com a partida iminente de sua irmã mais velha para a faculdade, que escolheu a Europa como novo lar.

Em razão da ausência e distância, Lara Jean precisará assumir o posto de irmã mais velha e precisará "dar alguns passos com as próprias pernas" e descobrir seu verdadeiro eu.

Como sempre foi muito retraída, principalmente no campo amoroso, ela nunca expressava às suas paixonites o que de fato sentia. Quando percebia que suas esperanças em relação a algum rapaz seriam infrutíferas, ela, ao invés de falar, escrevia cartas de despedida para cada um deles, a fim de deixar que tudo o que ela sentia fosse levado embora com as palavras. As cartas eram guardadas em uma antiga caixa de chapéu que sua falecida mãe deu a ela de presente.

Mas o que Lara Jean não esperava era que os destinatários dessas cartas algum dia fossem vê-las. Entretanto, para o desespero da protagonista, é exatamente isso o que acontece. Quem poderia tê-las enviado e porquê? Será que Josh, o ex-namorado de sua irmã mais velha, vai receber a dele também? E o que isso pode fazer com o relacionamento de amizade que as irmãs sempre tiveram?

                                        
O que achei?

Gente, esse livro de fato é um amorzinho. Li super rápido por causa da narrativa gostosa da autora, mas fora isso ele não tem nada de mais. Apesar de ganhar pontos com os leitores pela doçura, não achei nada de original que valesse a pena comentar por aqui.

É claro que eu gostei e vou continuar a série e, sim, recomendo, mas espero encontrar algo que me surpreenda. Afinal, "romance água com açúcar"em si mesmo não se basta.

Próximos volumes:

* P.S.: Ainda Amo Você




















* Always and Forever, Lara Jean (ainda sem data de publicação).

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Procura-se, viva ou morta.

Acho muito difícil que a essa altura do campeonato você não tenha ouvido falar de Garota Exemplar, da Gillian Flynn. Livro ou filme, tanto faz, foi simplesmente um sucesso.

No mundo do booktube, foi uma avalanche de comentários do tipo "Leiam esse livro!", "Melhor livro do ano!", ou algo do tipo. E você sabe qual é o problema de ler algo que todo mundo acha maravilhoso, né?

De duas, uma: ou você vai achar perfeito e concordar com essas opiniões ou não vai achar "tudo isso". Onde eu me encaixo? Claro que na segunda opção. Mas por favor não me apedrejem antes de terminar de ler a resenha, pois eu de fato achei um livro muito bom, apesar das quatro estrelas que dei por motivos de expectativas demais.

Lembro que quando começaram a falar desse livro fiquei super intrigada. Diziam ser um livro ao estilo "mind blowing", ou seja, "sua cabeça vai explodir quando ler isso aqui!". E quer saber? Até que foi isso mesmo o que aconteceu, mas eu já esperava que isso acontecesse depois desses comentários (não sei se isso faz sentido para você).

Em Garota Exemplar, acompanhamos a investigação do sumiço da esposa de Nick, por meio de seu ponto de vista, sendo o livro divido em três partes, cruciais à história. Em contrapartida, os capítulos com a visão dele são intercalados com o diário escrito por sua mulher Amy, em que podemos comparar os acontecimentos relatados pelos dois e tentar imaginar quem está falando a verdade.

A vida desse casal é um tanto incomum. Suas brincadeiras internas, suas histórias de vida antes do casamento, o que pensam sobre casais de amigos. Tudo isso serve de elemento para a narrativa, tornando as coisas muito esquisitas e, por vezes, sombrias para o leitor.

Quando comecei a ler sobre a história de Nick e o sumiço de sua esposa, ficava a cada capítulo tentando adivinhar o que tinha acontecido de verdade. Bolei mil teorias e muitas passaram perto da verdade e o que era para ser uma "grande descoberta" foi uma "grande descoberta já esperada". Portanto, entendam, eu li esse livro sabendo que ia me surpreender e talvez isso tenha estragado um pouco as coisas para mim.

Como essa resenha não contém spoiler, eu prefiro que você entre de cabeça nessa história. Sem ler nada de muito crucial, mesmo que perceba depois que são situações banais para a narrativa. Acredite em mim e sua leitura vai ser cinco estrelas, com certeza.

O que achei:

Em primeiro lugar, espero que você tenha compreendido o que vivenciei com a leitura. 

Em segundo lugar, achei o livro muito bem escrito, daqueles que te prendem do começo ao fim. Essa autora não tem papas na língua, cria personagens com nuances incríveis e muitas particularidades. É muito complicado a individualização de pensamentos quando o livro tem mais de um protagonista. O enredo é super cativante e gera uma aflição enorme, pois você quer descobrir o que diabos está acontecendo. 

Por fim, Gillian Flynn de fato merece seu hype, ela é brilhante. Mas da próxima vez não quero saber absolutamente nada da história. Quero ter apenas minha própria avaliação de tudo e ser, como eu disse logo no começo dessa resenha, surpreendida.